Barra do Governo do Estado de São Paulo

Poupatempo

Notícias

25/6/2009

Poupatempo Luz faz 11 anos e IIRGD ultrapassa 30 milhões de serviços prestados no Poupatempo
Em junho de 1998, há exatos 11 anos, o Governo de SP abria as portas do Poupatempo Luz, segundo Posto de atendimento do Poupatempo no centro da cidade, e também no estado de São Paulo. Neste período, a Unidade localizada próxima à Estação Luz do Metrô já realizou mais de 5,8 milhões de atendimentos. Todos os dias, o Posto, que conta com 180 funcionários e tem atendimento exclusivo para os serviços do Instituto de Identificação Ricardo Gumbleton Daunt (IIRGD), realiza em média 1,8 mil serviços, entre emissões de Carteiras de Identidade e Atestados de Antecedentes.
 
A Unidade Luz começou a funcionar menos de oito meses após a inauguração do Poupatempo Sé, o primeiro Posto do Programa, e ajudou a atender a demanda de cidadãos que chegavam a madrugar defronte ao Posto em busca do RG. O porquê era simples: a partir de então seria possível tirar o documento de identidade em até 48 horas, no máximo. Antes, no mesmo local onde até então funcionava o posto I de Identificação da Polícia Civil, que foi totalmente adaptado para funcionar no padrão Poupatempo, chegava a levar até três meses para que o cidadão tivesse o documento em mãos.
 
Instituto de Identificação: mais de 30 milhões de serviços no Poupatempo
Presente em todos os 14 Postos Fixos e sete Unidades Móveis do Programa Poupatempo, o Instituto de Identificação Ricardo Gumbleton Daunt, que por unanimidade tem a maior demanda em todas as Unidades do Poupatempo no estado, acaba de ultrapassar a marca de 30 milhões de serviços prestados somente no atendimento presencial do Poupatempo. Deste total, 20 milhões correspondem a Carteiras de Identidade, o que significa que praticamente a metade da população de todo o estado de SP, que hoje está estimada em 41 milhões de habitantes segundo dados da Fundação Seade, foi identificada dentro dos Postos Poupatempo.
 
Por dia, o Poupatempo emite mais de 10,5 mil Carteiras de Identidade e 3,2 mil Atestados de Antecedentes Criminais, ou seja, mais de 300 mil documentos emitidos pelo Instituto de Identificação a cada mês dentro dos Postos.
 
Segundo o Secretário de Gestão Pública, Sidney Beraldo, dos mais de 230 mil RGs entregues por mês, cerca de 70% são segundas vias: “Historicamente, os números nos mostram que a 2ª via do RG é o serviço campeão de demanda em todo o Programa Poupatempo, e isto, em grande parte das vezes, por conta da falta de cuidados dos cidadãos com o seu próprio documento, até mesmo pela facilidade que hoje existe para se obter um novo documento”.
 
História da Identificação no estado de SP
A identificação civil em São Paulo teve início no início do século XX, em julho de 1904, quando o Gabinete de Identificação da Polícia Civil emitiu a primeira Carteira de Identidade do Estado, que na época era chamada de Ficha Passaporte. Dois anos mais tarde, a identificação civil foi legalmente instituída através do Cartão de Identidade. Nele, descreviam-se as características antropométricas do cidadão, com anotações até sobre cicatrizes e marcas.
 
Em 1907, o documento foi simplificado, com os dados antropométricos substituídos pelas impressões digitais dos cinco dedos da mão direita, que são coletadas até hoje para fins de identificação.
 
Na sede do IIRGD, no centro de São Paulo, fica o arquivo com os prontuários de todo cidadão nascido ou habitante do estado de SP que algum dia tenha solicitado seu documento de identidade. Entre as mais de 45 milhões de fichas de seu acervo, podem ser encontrados nomes famosos da literatura, como o de Monteiro Lobato, que tirou sua Carteira de Identidade em 1919 para fins eleitorais; da política, como o ex-presidente e ex-prefeito Jânio Quadros; da aviação, a exemplo de Santos Dumont, e do mundo esportivo, como Pelé e Ayrton Senna da Silva.
 
Quem foi Gumbleton Daunt?
O Instituto de Identificação do Estado de São Paulo leva o nome de Ricardo Gumbleton Daunt, que por duas vezes foi seu diretor. Formado Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de São Paulo, em 1919, exerceu a advocacia por algum tempo na Capital. Logo depois, ingressou no Ministério Público, na comarca de Santa Cruz do Rio Pardo.
Voltando para a Capital, ingressou na Polícia exercendo, inicialmente, o cargo de Comissário de Polícia. Posteriormente, em 1929, passou para a Chefia do Serviço de Identificação do Departamento de Investigações. Foi quando se convenceu da importância da identificação científica como base da segurança individual. É considerado um dos mais ardorosos defensores da identificação civil, sendo o precursor da Polícia Científica no Estado de São Paulo.
 
Programa Poupatempo
O Poupatempo é um Programa do Governo do Estado de São Paulo, vinculado à Secretaria de Gestão Pública e administrado pela Prodesp – Tecnologia da Informação – que há mais de 11 anos presta serviços de qualidade à população.
Poupatempo